CARTA À COMUNIDADE ACADÊMICA DA UPE

Estudantes, servidores técnicos e docentes, saudações acadêmicas!

É de conhecimento de todos a crise financeira, política e ética que vive nosso país. Crise essa, com profundos impactos nos três níveis de governo afetando diretamente a população brasileira no que tange aos serviços oferecidos pelo Estado e suas instituições.

 

A Universidade de Pernambuco, tendo em vista esse cenário conjuntural, também foi afetada com cortes em seu orçamento, o que vem causando prejuízos no desenvolvimento de suas ações acadêmicas, na ciência, na tecnologia e na inovação, dificultando assim, responder satisfatoriamente ao que a comunidade acadêmica espera e exige dela como lugar especializado da produção do saber e formação de pessoal de excelência.

Como professores, e atualmente como gestores, temos o compromisso de lutar por uma Universidade cada vez melhor e garantir a qualidade de funcionamento em todos os seus cursos de graduação e pós-graduação nos seus diversos campi. Para isso, continuaremos reforçando um modelo de gestão democrática que possibilite a participação de toda a comunidade acadêmica nessa situação temporária.

Temos clareza de que para nossos discentes, docentes e técnicos administrativos, o Estado somos nós! Estamos no corpo de frente da representação da Universidade e por isso nos cabe empenho diário para se fazer presente em todos os campi procurando minimizar os efeitos de uma conjuntura econômica desfavorável.

A UPE solicitou ao Governo do Estado recursos orçamentários na ordem de R$ 32.284.834,00 para pleno exercício de suas atividades no ano de 2015. Em fevereiro do corrente ano, foi publicado o Decreto Estadual no. 41.466 que institui o Plano de Contingenciamento de Gastos que levou a um período de indefinição do nosso orçamento, sendo pactuado em abril um novo teto para R$ 29.096.635,00. Esse valor sofreu um primeiro corte, sendo pactuado apenas R$ 27.277.544,44. Tendo sido a arrecadação do Estado de Pernambuco, nos últimos três meses, uma das mais baixas dos últimos anos, fez-se necessário um novo contingenciamento, em setembro, redefinindo o nosso orçamento em R$ 24.496.386,00.

O enfrentamento dessa situação, na perspectiva de garantir as condições necessárias para o funcionamento das ações da UPE, tem sido assumido pela atual gestão de diferentes modos:

  • Coordenação sistemática das ações de replanejamento orçamentário e financeiro;
  • Articulação do esforço dos Diretores e funcionários do setor financeiros dos campi e da administração central da Reitoria no sentido de diminuir os efeitos da redução dos recursos na prática acadêmica;
  • Promoção da discussão coletiva, entre gestores, para redefinição das prioridades para os próximos quatro anos, e
  • Defesa política por condições para o pleno funcionamento e autonomia da UPE através do diálogo perene com o Governo do Estado.

 

É imperioso continuar investindo nossos esforços em pensar e planejar a produção de ciência, tecnologia e inovação. Essa é a expertise da Universidade. Somente através desses pilares poderemos pensar a realização da Universidade que queremos.

Temos certeza de que o empenho de cada um dos docentes, discentes e técnicos, o canal aberto de diálogo e a transparência nas ações desenvolvidas pela Universidade é a melhor forma de enfrentarmos a atual situação econômica para tornar possível a realização das ações acadêmicas.

Assim, agradecemos a toda comunidade acadêmica por este esforço e empenho de realizar o melhor, dentro dos limites do possível, sempre almejando um novo horizonte de expectativas para continuar fazendo da UPE uma instituição de excelência.

Profes. Pedro Falcão e Socorro Cavalcanti

Reitor e Vice-Reitora da UPE